Comunique Blog

Segundo o Censo Escolar de Educação, realizado no ano passado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), o Brasil conta com 1 milhão e 400 mil professores graduados com licenciatura. A pesquisa mostra que 83,2% dos docentes do ensino fundamental (1º ao 9º ano) têm nível superior e que o percentual está crescendo se comparado aos últimos anos. Ainda de acordo com a pesquisa, a formação dos educadores para esta fase do ensino tem melhorado. Em 2019, o percentual de professores com licenciatura aumentou 6 pontos percentuais, na comparação com o ano de 2015 e 2,3 pontos percentuais em relação ao Censo Escolar 2018. 


A Estácio, um dos maiores e mais respeitados grupos do setor educacional do Brasil, atua há 50 anos no segmento de ensino superior. Presente em 23 estados e no Distrito Federal, por meio do ensino presencial, e em todo o Brasil com o Ensino Digital, contando com milhares de profissionais de ensino. A instituição celebra a data, homenageando e contando a história de superação e inspiração de uma de suas grandes professoras: Maria Imaculada Chao Cabanas, de 67 anos de vida e 49 de docência. Ela informa que decidiu lecionar para desmitificar e ensinar matemática de uma maneira mais prazerosa. Confira, abaixo, os detalhes da carreira vitoriosa de Ada, como ela é conhecida pelos alunos e colegas de profissão.   


Matemática sem mistérios  



Maria Imaculada Chao Cabanas, chamada carinhosa de Ada, tem 67 anos e tem um fôlego e uma motivação de causar admiração em muitos jovens. Ela é mãe de 1 filho e tem 1 netinho, já foi dona de casa por muitos anos e conciliava seu tempo entre as tarefas do lar e os estudos. Se formou no Curso de Normal aos 18 anos e deu aula para as séries iniciais, trabalhando muito tempo como professora do Ensino Fundamental I.   


“Exerço essa profissão há 49 anos e tenho orgulho de afirmar que sou do tempo da lousa, do giz de gesso e cheguei a era do quadro digital. Acompanhei todas as transformações sociais e tecnológicas da sociedade e, consequentemente, da educação.     


O tempo passou e a vida dela deu uma grande guinada, mas Ada não se intimidou e, muito pelo contrário, se jogou, fez faculdade de Matemática, passou em diversos concursos públicos e passou a dar aula agora para o Ensino Fundamental II, do 6º ao 9º ano, e também para o Ensino Médio.  


Entre 1986 e 1987, mesmo com tantos afazeres profissionais, ao invés do cansaço, Ada teve uma grande inspiração e elaborou um projeto fantástico com seus alunos da Escola Municipal Delfim Moreira, que fica no Bairro do Rocha e atende basicamente à comunidade do Jacarezinho, na Zona Norte do Rio. O colégio que a educadora lecionava tinha as paredes todas pichadas /rabiscadas e ela mobilizou os estudantes, repintando com eles o local com figuras geométricas e muitos até passaram a tomar “gosto” pela Matemática.  


A professora de Matemática passou por várias situações, porém se reinventou e se redescobriu, conseguindo entrar para Fundação Roberto Marinho e, lá, atuou por 6 anos apoiando professores a desenvolver novas metodologias e novos modos de se trabalhar com a disciplina. Durante este projeto, a educadora visitou e conheceu diversos colégios em Goiás e, depois, no Espírito Santo e na Bahia. Neste período, ela comenta que teve um aprimoramento tecnológico muito relevante e de muito aprendizado.  


Se acomodar é uma possibilidade meio que impossível para Maria Chao e ela jamais pensou nisso. Entrou para Estácio, foi promovida a coordenadora de Matemática, chegando a ser coordenadora de área e se transformou em professora adjunta. Também conseguiu ser professora substituta da UFRJ. Fez mestrado, doutorado e conseguiu entrar para equipe do banco de elaboração de questões para o ENADE e para todas as demais avaliações em larga escala do MEC, inclusive o ENEM. É avaliadora de curso, de livro didático e de conteúdo. 


Por que decidi fazer Matemática na faculdade?


Segundo ADA, a escolha pela disciplina aconteceu quando ela ainda era estudante, pois sempre quis saber o porquê seus colegas da escola tinham sérias dificuldades para aprender essa ciência tão encantadora e instigante como a Matemática.


Para sua surpresa, tal fato se repetiu quando ela começou a lecionar. A educadora conta que ficava bem triste quando via nos olhos das crianças a dificuldade em assimilar certos conhecimentos. A forma monótona como os outros professores ensinavam também a deixava bem chateada. Neste sentido, Maria Chao passou a utilizar novos métodos, pois sempre enxergou a Matemática com outro prisma. Esse olhar diferenciado, inclusive, se transformou na tese de seu doutorado e, em breve, vai virar um livro.        

4 visualizações

Acontece neste sábado (17) uma ação da Equatorial Maranhão em parceria com a Defensoria Pública no Residencial Ribeira com o objetivo de cadastrar as famílias de baixa renda no programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), do Governo Federal, que concede descontos de até 65% na conta de energia.


Durante toda a manhã (a partir das 8h), até as 16h, agentes da Equatorial Maranhão estarão realizando diversos serviços para a comunidade, ao lado da Associação de Moradores do Condomínio Residencial Ribeira. Para participar, é necessário que o titular da conta da conta de energia leve a última conta de luz, o seu NIS (Número da Identificação Social) e a identidade.


Além dos cadastros na Tarifa Social para famílias de baixa renda, a Equatorial Maranhão também vai:

- Trocar resíduos recicláveis por descontos na conta de energia, por meio do programa E+ Reciclagem.  Para participar o titular da conta deve levar os materiais limpos e secos, como papel, plástico, embalagem tetra pak e metal para serem pesados e contabilizados como desconto na próxima conta de energia;

Trocar lâmpadas fluorescentes e incandescente (que consomem mais energia) por lâmpadas LED (que são mais econômicas), gratuitamente. Mas, atenção: para que a troca seja realizada, é preciso que o cliente leve até três lâmpadas que estejam funcionando, para poder realizar a troca.


- Cadastros na Promoção Energia em Dia: promoção que sorteia todos os meses prêmios para quem estiver em dia com a conta de luz

A Defensoria Pública estará presente no local para tirar dúvidas, auxiliar em possíveis negociações e com pedidos de cadastros na Tarifa Social Baixa Renda.

Assessoria de Imprensa da Equatorial Maranhão

7 visualizações

A cantora maranhense Flávia Bittencourt reuniu músicos e amigos e promoveu uma Live Musical Inclusiva e Solidária, realizada no último dia 30 de agosto via YouTube. Além de show da cantora, teve participações especiais de músicos e também de diversos artistas portadores de deficiências. O evento acima de tudo teve o propósito de fomentar o protagonismo dos deficientes e dar visibilidade para a arte produzida por portadores de deficiências.

E mais, essa Live serviu para arrecadar doações de fãs, amigos e empresários que possibilitaram a compra de 10 cadeiras de rodas que essa semana foram entregues aos cadeirantes contemplados; incluindo uma cadeira customizada e fabricada em alumínio, especialmente para o trabalho da bailarina e cadeirante Luana Sousa.

Flávia Bittencourt fez questão de participar da entrega juntamente com patrocinadores, em um ambiente descontraído e marcado pela emoção dessa grande corrente do bem desencadeada pela cantora.

FOTOS – DANIELLE VIEIRA:



2 visualizações
Destaque
Recentes
Tags
Contatos

São Luís: Rua Queops /Avenida Vale, n° 05, Edifício Michelangelo, sala 201, Jardim Renascença II, São Luis, Maranhão. CEP 65.075-800

Imperatriz: Rua Pernambuco, Edifício Centro Empresarial, Sala 501, Centro, CEP: 65.903-320

Telefone: (98) 3302-8858
Celular: (98) 98713-6973

 

comunique@comuniqueassessoria.com.br

Clientes

© 2015 - Todos os direitos reservados