DIRETOR DE FOTOGRAFIA RENATO FALCÃO APOSTA NA MPB COMO PRODUTO DE EXPORTAÇÃO MADE IN BRAZIL

Em São Luís ele dirigiu a gravação do DVD da cantora Flávia Bittencourt e mira o mercado internacional com esse trabalho


De Nova Iorque (EUA) onde mora para São Luís, onde veio a convite da cantora Flávia Bittencourt para fazer a direção show de gravação do DVD Eletrobatuque; o aclamado diretor de fotografia Renato Falcão trouxe na bagagem toda a sua experiência como diretor de fotografia, film maker e produtor com mais de 15 anos de estrada, e elogiadas produções nacionais e internacionais sob a sua responsabilidade.


O gaúcho Renato Falcão foi morar nos Estados Unidos logo depois de finalizar o filme “Presságio”, que venceu o Kikito de melhor fotografia em Gramado. Em solo americano, Falcão estudou na New York Film Academy, onde viu um pouco de tudo da área, mas sempre focando de forma especial na fotografia. Após uma série de curtas, ele fez seu primeiro longa, a “Festa de Margarette” em 2003. Mas foi na produtora Blue Sky Studios nos Estados Unidos, em parceria com o premiado amigo e também brasileiro Ricardo Saldanha, que Falcão iniciaria uma longa carreira como diretor de fotografia de animações famosas.


“Dei sorte, pois a Blue Sky queria ter um consultor de fotografia contratado para que suas animações, ficassem mais parecidas possíveis com o live action, e lá fui eu”, disse Falcão.


E unindo sorte ao seu grande talento na fotografia, Renato Falcão acabou participando de filmes de animação consagrados mundialmente como Rio (2011), A Era do Gelo (2012), Reino Escondido (2013), Rio2 (2014), Snoppy – O Filme (2015), A Era do Gelo 2 – O Big Bang (2016) e O Touro Ferdinand (2017), nos quais assina a direção de fotografia.


Com mil projetos em cinema e mini séries para o streaming media a exemplo de canais como a Netflix; Renato também flerta com a música brasileira, e aposta na mesma como um grande produto de exportação, com uma grande potencial internacional, a exemplo do seu mais recente trabalho nessa área, o DVD Eletrobatuque da cantora maranhense Flávia Bittencourt que tem tudo para despontar mundo afora com esse projeto que teve patrocínio do Empório Fribal e do Governo do Maranhão, via Lei Estadual de Incentivo à Cultura; e do qual a cantora Sandra de Sá teve participação especial no show gravado na Concha Acústica Reynaldo Faray em São Luís.


Para Renato, a música de Flávia Bittencourt e esse DVD chegarão ao mercado com grandes apelos internacionais:


“Nosso desafio nesse DVD é mostrar a riqueza de sonoridade que foi esse show ao vivo, fiquei muito feliz com o resultado das filmagens e acredito fortemente na música brasileira como um grande produto de exportação e um belo cartão de visita do nosso país, a exemplo de Eletrobatuque, trabalho no qual a Flávia foi muito feliz nessa mistura de ritmos nordestinos com batidas eletrônicas. Ela conseguiu variar bastante em cena em termos de musicalidade, mas sempre mantendo a sua marca e personalidade artística, e tudo com muito bom gosto, com um resultado fantástico. Aliás, o Brasil é mesmo um país muito musical e onde se vai, de norte a sul do país, a gente encontra música de qualidade. Temos que apostar muito na música brasileira como produto de exportação e de venda de imagem positiva do Brasil”, disse Renato.


Para quem perdeu, vale lembrar que, no show de gravação de Eletrobatuque os sons eletrônicos do DJ Deeplick foram misturados às diversas influências brasileiras, europeias e latinas, mostrando assim, toda a imensa versatilidade de Flávia como intérprete e musicista. A banda enxuta e integrada – sanfona de Rui Mário; no violoncelo Daniel Silva e na percussão Felipe Tauil - deu um show à parte, numa formação nem tão óbvia assim, mas que funcionou muito bem, e conseguiu valorizar os ritmos maranhenses que são riquíssimos unindo-os às influências latinas. Um acordeão que passeava pelo universo do tango, toques do forró e da música europeia como a polca; com partes eletrônicas fazendo uma desconstrução sonora muito interessante também. Um show com momentos mais líricos e outros mais dançantes; porém todo o espetáculo mesclando história, cultura, emoção e um grande recado artístico e cultural, sempre com uma reflexão social. Bailarinos da Cia Pulsar e um vídeo mapping no telão como cenário foram atrações à parte, que muito enriqueceram o principal, a beleza e o talento de Flávia Bittencourt eclodindo em cada interpretação em português, inglês e francês; e nos três duetos com a convidada Sandra de Sá, todos foram momentos marcantes. Um show que foi muito feliz musicalmente, do começo ao fim.


E muito feliz com o resultado musical de Eletrobatuque, Renato Falcão lembrou que a aposta na MPB também funcionou muito bem no cinema, e foi um elemento de destaque na animação Rio, de Carlos Saldanha:


“O Saldanha fez exatamente isso de unir a música brasileira às belezas naturais do Brasil na animação Rio. Ele mostrou muito bem a nossa musicalidade com músicas de Carinhos Brow e Sérgio Mendes ao longo do filme, que acabou sendo um sucesso entre crianças e adultos mundialmente. E isso não me surpreende, pois a música brasileira já é admirada mundialmente, eu moro fora do país e vejo como sempre tem alguém que conhece a nossa música, de Roberto Carlos a Cateano Veloso e Gil, Chico Buarque passando pela bossa nova. E agora com Flávia para mim foi um super prazer poder assinar a direção de fotografia desse DVD que vai ficar fantástico e poderá vender muito bem o Nordeste e o Brasil”, avaliou Falcão.


“As pessoas que acompanharam o sucesso da bossa nova no mundo agora estão a esperar o que vem de novo, e pode ser a música nordestina, como a Flávia propõe em Eletrobatuque. A MPB é um produto facilmente aceito e exportável. E a parte visual de um DVD é sempre muito importante também”, complementou ele.


Para o futuro ele considera que o Brasil está em momento muito bom na produção de séries para TV e aposta nessa área:


“Dei uma pausa em animação, e já fiz duas séries que ainda não estrearam e já tenho outros projetos engatilhados nessa área. Temos um mercado gigante no país para as séries, e além da Netflix e da Amazon as próprias emissores de TV também estão apostando muito na produção de séries de qualidade. Hoje no país está muito bem em tecnologia nesse setor, e nossos profissionais – roteiristas, atores e diretores - também são muito talentosos e estão produzindo muita coisa legal nesse setor. Que as empresas apostem mais e mais nessa área e patrocinem o cinema e as séries, pois esse é um setor que emprega muita gente e que gera belos produtos culturais”, disse Falcão.


FOTOS – DANIELLE VIEIRA:

Destaque
Recentes
Siga a gente
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Cinzento Ícone Google+