Desafios da inclusão do surdo no mercado de trabalho

25/09/2019

Mudo, surdinho, mudinho ou surdo-mudo são muitos os nomes atribuídos as pessoas surdas. Segundo dados do IBGE, 16,7% da população brasileira é composta por deficientes auditivos que encontram diversos obstáculos para acessarem alguns direitos como a comunicação e o trabalho. 

 

Para a comunicação existe a Língua Brasileira de Sinaia (LIBRAS), reconhecida desde 2002. Já para o acesso justo ao mercado de trabalho, foi citada a Lei de Cotas. De acordo com  coordenadora do Núcleo de Práticas Jurídicas (NPJ) da Estácio São Luís, Hilza Paixão, caso a lei não seja cumprida as empresas estão sujeitas a multas, que podem ser recebidas por falta de adaptação no espaço físico, número de funcionários abaixo do estipulado, inacessibilidade nos canais de comunicação e até mesmo questões comportamentais.

 

A Lei prevê que grandes empresas tenham um número mínimo de colaboradores com deficiência nos seus quadros – de 2% a 5% do número total de funcionários. No entanto, o que acontece na prática, é que poucas empresas realmente seguem a lei de forma correta.

 

Algumas organizações dão um ‘jeitinho’ de cumprir a lei sem se preocupar com o desenvolvimento dos funcionários e evitam contratar pessoas com deficiências especificas. É nessa procura que os surdos deixam de ser contratados, já que isso exigiria um esforço maior das empresas por terem a LIBRAS como primeira língua, em vez do português.

 

Para o Grupo Mateus, a Lei de cotas não é vista como uma obrigação, e sim como uma oportunidade de construir um ambiente mais diverso e inclusivo. O Grupo já conta com 197 colaboradores surdos no Maranhão e no Pará.

 

Além de proporcionar acesso justo ao mercado de trabalho, o Grupo Mateus investe na formação em LIBRAS dos colaboradores ouvintes - pessoa sem deficiência auditiva. Em São Luís o curso de formação básica em LIBRAS já está na quarta turma e em Imperatriz uma turma de gerentes e colaboradores também foi formada. Já no estado do Pará, a primeira turma começou a dar seus primeiros passos.

 

Assim como os colaboradores ouvintes, os surdos também passam por treinamentos de qualificação e preparado dentro do grupo. Os treinamentos, feitos dentro da NIDUU — startup de treinamento corporativo através do uso da gameficação — são os mesmos aplicados aos ouvintes, mas com uma única diferença: a legenda. Além disso, para garantir treinamentos ainda mais eficazes, interpretações em LIBRAS serão inseridas no aplicativo, facilitando a compreensão do surdo.

 

A proposta da pauta é mostrar a importância da inclusão da comunidade surda no mercado de trabalho e mostrar que devem ser lembrados e respeitados. Além disso, a matéria dá visibilidade à comunidade surda que só no Brasil representa 16,7% da população.

Please reload

Destaque

100% de desconto na tarifa de energia para famílias de baixa renda

May 20, 2020

1/10
Please reload

Recentes

May 21, 2020

May 21, 2020

May 20, 2020

May 20, 2020

Please reload

Leia Também
Please reload

Siga a gente
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Cinzento Ícone Google+
Contatos

São Luís: Rua Queops /Avenida Vale, n° 05, Edifício Michelangelo, sala 201, Jardim Renascença II, São Luis, Maranhão. CEP 65.075-800

Imperatriz: Rua Pernambuco, Edifício Centro Empresarial, Sala 501, Centro, CEP: 65.903-320

Telefone: (98) 3302-8858
Celular: (98) 98713-6973

 

comunique@comuniqueassessoria.com.br

Clientes

© 2015 - Todos os direitos reservados