Caixa de lápis de cor pode variar até 223% em papelarias de São Luís, aponta pesquisa do Procon/MA


Uma caixa de lápis de cor pode variar preços em até 223% em São Luís. Essa foi uma das descobertas da pesquisa de preços realizada pelo Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) em lojas e estabelecimentos que comercializam materiais escolares na capital. O levantamento foi realizado no período de 15 a 20 de janeiro, com seis fornecedores e incluiu 236 itens.


“Acompanhamos a sazonalidade de alguns produtos, estando atentos aos períodos em que esses bens apresentam uma maior demanda justamente para evitar que ocorram aumentos abusivos e injustificados dos preços”, explicou a presidente do Procon/MA, Adaltina Queiroga.


As ações do órgão direcionadas à compra e venda de material escolar começaram desde o final do ano passado.

“Além das fiscalizações in loco, em que observamos questões como a precificação, selos de qualidade, disponibilidade de informações sobre os produtos e formas de pagamento, essa pesquisa de certa forma é parte desse ciclo de fiscalizações acerca desses materiais”, completou a presidente.


Pesquisa

A pesquisa de preços de itens de material escolar é feita anualmente e órgão compara os valores praticados para itens semelhantes, de mesma marca com mesma descrição técnica.


Neste ano foram comparados 236 itens e o que apresentou a maior variação, de 223,62% foi a caixa de Lápis de Cor da linha Multi, da marca Faber Castell de 36 cores, custando R$ 48,00 na Acalanto Livraria e R$ 14,99 no Mateus Supermercados (Cohama, Renascença, João Paulo).


Também estão no topo da lista da maior diferenciação de preço as borrachas Max Neon, da Faber Castell, com 196,44% de variação e preços que foram de R$ 7,99 na Kalunga a R$ 2,53 na Acalanto Livraria e a Plast TR Color, da Mercur, que na Acalanto custa R$ 1,53 e na Kalunga R$ 4,50, diferença de 196,05%.


A pesquisa completa está disponível aqui. Uma caixa de lápis de cor pode variar preços em até 223% em São Luís. Essa foi uma das descobertas da pesquisa de preços realizada pelo Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor do Maranhão (Procon/MA) em lojas e estabelecimentos que comercializam materiais escolares na capital. O levantamento foi realizado no período de 15 a 20 de janeiro, com seis fornecedores e incluiu 236 itens.

“Acompanhamos a sazonalidade de alguns produtos, estando atentos aos períodos em que esses bens apresentam uma maior demanda justamente para evitar que ocorram aumentos abusivos e injustificados dos preços”, explicou a presidente do Procon/MA, Adaltina Queiroga.


As ações do órgão direcionadas à compra e venda de material escolar começaram desde o final do ano passado.

“Além das fiscalizações in loco, em que observamos questões como a precificação, selos de qualidade, disponibilidade de informações sobre os produtos e formas de pagamento, essa pesquisa de certa forma é parte desse ciclo de fiscalizações acerca desses materiais”, completou a presidente.


Pesquisa

A pesquisa de preços de itens de material escolar é feita anualmente e órgão compara os valores praticados para itens semelhantes, de mesma marca com mesma descrição técnica.


Neste ano foram comparados 236 itens e o que apresentou a maior variação, de 223,62% foi a caixa de Lápis de Cor da linha Multi, da marca Faber Castell de 36 cores, custando R$ 48,00 na Acalanto Livraria e R$ 14,99 no Mateus Supermercados (Cohama, Renascença, João Paulo).


Também estão no topo da lista da maior diferenciação de preço as borrachas Max Neon, da Faber Castell, com 196,44% de variação e preços que foram de R$ 7,99 na Kalunga a R$ 2,53 na Acalanto Livraria e a Plast TR Color, da Mercur, que na Acalanto custa R$ 1,53 e na Kalunga R$ 4,50, diferença de 196,05%.

A pesquisa completa está disponível aqui.

Destaque
Recentes