Menos cancelamento e mais amor, por favor!

A cultura do cancelamento, usada por muitos nas redes sociais nos últimos anos, está cada vez mais presente no universo digital e com a exibição do reality show, Big Brother Brasil 2021, o que não faltam são pessoas canceladas. A internet virou palco para julgamentos e sentenças severas. E na prática, como funciona o cancelamento?


Um usuário de mídias sociais, como Twitter e Facebook, presencia um ato que considera errado, registra em vídeo ou foto e posta em sua conta, com o cuidado de marcar a empresa empregadora do denunciado e autoridades públicas ou outros influenciadores digitais que possam amplificar o alcance da mensagem. É comum que, em questão de horas, o post tenha sido replicado milhares de vezes. O "cancelamento" é um ataque à reputação que ameaça o emprego e os meios de subsistência atuais e futuros do cancelado.


A psicóloga do Hapvida Saúde, Celiane Lopes, explica que essa prática pode trazer sérios prejuízos à vida da pessoa. “Pode gerar problemas físicos e emocionais, em muitos casos a pessoa se isola, fica triste, ansiosa e até mesmo depressiva. O cancelamento virtual possui caráter punitivo, ou seja, se a pessoa errou, ela será definida pelo seu pior momento, não possibilitando a chance de acertos”.


A especialista ressalta que é normal discordar da opinião do outro, porém é necessário o respeito e a tolerância. “Não agradar a todos faz parte da vida, o que precisa ser feito é empregar o bom funcionamento da palavra respeito nas opiniões e comportamentos das pessoas, evitar julgamento precipitado”, pontua.


A internet não é um “mundo sem lei” e as pessoas podem responder por publicações ofensivas ou criminosas nas redes sociais. A professora do curso de Direito do Centro Universitário Estácio São Luís, Maynara Costa, ressalta que é necessário observar o conteúdo da ofensa. “Na esfera penal, podemos analisar a partir dos crimes contra honra, ou seja, isto pode gerar tanto injúrias (ofensa à intimidade do sujeito por meio de direct) ou difamação (ofensa à reputação, em local público, neste caso seria nos comentários, post, twitters...)”.


Além de outras situações, que poderão gerar apologia ao crime ou ao criminoso, nas situações de incitação à violência física contra a pessoa que sofreu o boicote na rede social. Segundo a especialista, na esfera cível poderia gerar reparação por danos morais ou mesmo matérias, quando o cancelado perde patrocínio ou algum tipo de oportunidade. “Mas devemos sempre lembrar que este cancelamento na vida virtual, não vai apenas repercutir neste espaço, mas gerar danos, incalculáveis na vida social dos sujeitos envolvidos”, pontua.


Confira alguns famosos que já foram cancelados:


Karol Conká (participante do BBB 2021)

Dona de um repertório empoderado e feminista, a cantora tem feito comentários considerados ofensivos contra a atriz Carla Díaz, xenofóbicos contra a maquiadora e advogada Juliette, e maldosos contra Lucas Penteado. O ccomportamento já começa a impactar a carreira da cantora: a organização do Rec Beat Festival, que exibiria conteúdo gravado por ela, afirmou que está repensando a exibição devido aos comentários feitos na casa.


Gabriela Pugliesi

Em 2020, uma parcela considerável dos cancelamentos se deu por assuntos relacionados à Covid-19 e o desrespeito ao isolamento social. Uma das primeiras personalidades a sofrer um boicote por esse motivo no Brasil foi a influenciadora Gabriela Pugliesi. A influenciadora fez uma festa e recebeu convidados em sua casa, em um momento de restrições de aglomerações.


Anitta

Uma das personalidades mais conhecidas da música brasileira na atualidade, Anitta também não escapou de ser cancelada na Internet. O descontentamento do público veio em peso depois que a cantora Ludmilla, que já trabalhou com Anitta, expôs áudios e mensagens trocados entre as duas.

Destaque
Recentes