DEMANDA POR PRODUTOS DE HORTIFRUTI CRESCE DURANTE PANDEMIA DO NOVO CORONAVÍRUS

Especialistas apontam que brasileiros têm buscado reforçar imunidade com alimentação mais saudável



A reposição de frutas, verduras e legumes nas prateleiras tem sido cada vez mais frequente. O que o setor de hortifruti do Grupo Mateus percebeu foi, na prática, uma mudança e uma preocupação maiores por parte dos consumidores, com relação à alimentação, situação vista de igual forma em todo o país. O medo de adoecer tem levado muitos brasileiros a mudar os hábitos de alimentação. Isso é o que revela um levantamento da PMA (Produce Marketing Association), realizado em março, com uma amostra de aproximadamente 500 questionários.

Na pesquisa, o indicativo é de que o consumo de frutas e hortaliças frescas cresceu ou, no mínimo, não sofreu abalos e permaneceu igual, desde que a COVID-19 se espalhou pelo país. O estudo foi debatido com destaque no PMA Talks Brasil, webinar que reuniu diversos agentes da cadeia de FLV (frutas, legumes e verduras) para avaliar o primeiro mês de quarentena no Brasil.


Essa mudança no comportamento do consumidor afeta diretamente a procura por alimentos saudáveis no Brasil. Ou seja, apesar das dificuldades e adaptações ao novo cenário, o setor tem sido beneficiado pela maior preocupação das pessoas com a saúde.


No questionário, outro dado chama a atenção. Dentre o quantitativo de pessoas que disseram ter diminuído o consumo de produtos de hortifruti, muitas alegaram razões como passarem a ir bem menos aos mercados e feiras e, com isso, passaram a adquirir mais produtos que podem ser estocados. Outras, ainda, apontaram dificuldades financeiras como motivo para a redução do consumo.


Alimentação e imunidade



Fato é: se o ideal é tirar lições dos momentos de crise e transformar para melhor a realidade, a pandemia do novo coronavírus estabeleceu novas formas de viver e de se consumir. “Nesse aspecto, a saúde acaba sendo beneficiada por consequência natural, afinal, quanto mais natural e equilibrada é a alimentação, mais saudável também ela será”, atesta Aparecida Quintanilha, médica do Hapvida Saúde.


A especialista indica que o caminho certo começa pela escolha de alimentação saudável, de preferência, acompanhada por exercícios físicos feitos em casa. Mas deve-se ter cuidado com algumas reações que o isolamento social pode trazer. “A pessoa sai da sua rotina, ficando mais ansiosa, por estar fora do seu hábito normal. O que ocorre é a tendência de diminuir o intervalo das refeições e aumentar a ingestão dos alimentos, consequentemente, elevando a taxa calórica diária, o que pode aumentar o nível do colesterol, a taxa glicêmica e o peso. Situações que podem acarretar outros problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares, diabetes, gordura no fígado, dores nas articulações, alteração no sono, indisposição, entre outros", reforça a médica.



Monique Carvalho, coordenadora do curso de Nutrição da Estácio São Luís, dá algumas orientações para quem busca fortalecer o sistema imunológico. “Alimentar-se diariamente de frutas e verduras é essencial para quem tem a imunidade baixa. Prefira sempre os alimentos in natura, ou minimamente processados. Evite o consumo excessivo de fast foods, pois contêm algumas substâncias que aumentam a inflamação de células do organismo e diminuem a capacidade do sistema imunológico”, recomenda.


Veja mais algumas dicas importantes de como escolher os alimentos nesse período:


1) Frutas, verduras e legumes: diversifique

A especialista sugere, ainda, o consumo de algumas frutas e outros vegetais. “As frutas cítricas são ótimas fontes de vitamina C, antioxidantes que aumentam a resistência do organismo. Os folhosos (brócolis, couve, espinafre, entre outros) são ricos em ácido fólico, nutriente que auxilia na formação de glóbulos brancos, responsável pela defesa do organismo, além de serem fontes de outros tipos de minerais e vitaminas, como potássio, magnésio e vitamina K”, orienta.


2) Sucos naturais: aproveite

Outra fonte de proteção são os sucos detox, que se apresentam como uma excelente alternativa. “Eles promovem uma limpeza interna do corpo, eliminando as toxinas acumuladas, reduzindo o inchaço, regularizando o funcionamento do intestino e garantindo uma boa dose de nutrientes, o que contribui para o aumento da imunidade e melhora a saúde em geral”, enfatiza a nutricionista.


3) Bebida alcoólica: evite o exagero

Um corpo saudável precisa se manter hidratado e evitar o consumo excessivo de álcool. “A água é essencial para que todas as reações bioquímicas ocorram perfeitamente nas células, especialmente quando ficamos doentes”, esclarece. Como o álcool é diurético, o ideal é evitar exageros.

Destaque
Recentes