Dia do Amigo: como surpreender e comemorar a data mesmo à distância

Com o isolamento social como a principal arma contra o coronavírus, ver os amigos não é mais uma atividade diária. Tecnologia dá uma forcinha!

Um dia para celebrar a amizade regado a abraços, longas conversas e muitas gargalhadas entre amigos. Assim seria comemorado o Dia do Amigo, nesta terça-feira (20), se não fosse a pandemia do novo coronavírus. Neste momento, a amizade vai precisar ser celebrada à distância, já que a principal arma contra esse inimigo invisível é o isolamento social.

Tarefa árdua para um povo como o brasileiro, caloroso. Um estudo intitulado ‘The Relational Mobility’, publicado na revista da National Academy of Sciences, dos Estados Unidos, reforça essa característica nacional de forma científica: o Brasil é considerado o terceiro país mais sociável do planeta, atrás somente de Porto Rico (2º) e México (1º).

O estudo realizado em 2018 considerou o conceito de mobilidade relacional, que representa o grau de liberdade e de oportunidade que as pessoas têm, a partir de suas preferências pessoais, para escolher, iniciar e romper seus relacionamentos interpessoais. A pesquisa analisou 39 países e colocou o país do carnaval no ranking das sociedades mais abertas e sociáveis, com relações mais próximas e íntimas.

Mesmo enfrentando o desafio do isolamento, os brasileiros contam com uma arma muito poderosa: a tecnologia. De acordo com a pesquisa TIC Domicílios 2019 - mais importante levantamento sobre acesso a tecnologias da informação e comunicação, realizada pelo Centro Regional para o Desenvolvimento de Estudos sobre a Sociedade da Informação (Cetic.br), vinculado ao Comitê Gestor da Internet no Brasil - três entre cada quatro brasileiros acessam a internet, o que equivale a 134 milhões de pessoas.


Entre os brasileiros que encontram na tecnologia a solução para matar a saudade dos amigos está o jornalista Isaac Lima. Há quase um ano, o jovem não encontra a prima, Marília Guerra, que considera uma grande amiga; ela vive em Fortaleza (CE). “Meus planos eram reencontrá-la agora em julho, mas com a pandemia vamos precisar esperar para dar aquele abraço. Mesmo assim, a distância não nos separou, pelo contrário, conversamos agora com mais intensidade, seja por ligações, mensagens ou videochamadas”, conta o jornalista, que mora em Itapecuru-Mirim, interior do Maranhão.

Com muitos amigos, o jornalista Isaac Lima também encontra tempo para matar a saudade dos que moram em São Luís. “A amizade é algo que precisa ser valorizada. Então sempre busco um momento para me dedicar aos meus amigos, conversar, rir com eles e nesses tempos de pandemia não tem sido diferente. Em vez de visitá-los, eu faço ligações por videochamadas e interagimos”, revela.

Estar longe é sofrer



Para a psicóloga do Hapvida Saúde, Celiane Chagas, o cenário de pandemia é propício para problemas como insegurança, estresse, falta de motivação, ansiedade e medo. Os efeitos podem ser sentidos com mais intensidade pelos brasileiros, que são mais acostumados aos gestos de carinho, como dar as mãos, abraçar e tocar o outro.

“O rompimento, mesmo que momentaneamente, desses laços físicos pode trazer mudanças na rotina e até abalos profissionais, familiares e sociais. Por isso, mesmo que não supra por completo a ausência do amigo, encontrar alternativas que nos conectem com quem gostamos é fundamental para driblar a falta da presença física, além de nos manter saudáveis mentalmente neste período de isolamento”, orienta a especialista.

A psicóloga ressalta que a quarentena não precisa significar o fim da conversa ou do contato com o outro, mas apenas um momento passageiro, onde evitar o contato físico é a melhor demonstração de carinho.

“Fazer ligações telefônicas e ficar horas conversando com quem a gente ama pode encurtar essa distância. Assistir a filmes que lembram momentos divertidos, recordar de uma viagem entre amigos e até uma experiência com uma pessoa querida também ajuda. Para quem mora sozinho, até olhar pela janela e conversar com um vizinho é uma opção saudável”, incentiva a especialista.

Tecnologia que ajuda



Ficar tanto tempo sem conversar ou sair com os amigos parece desesperador para algumas pessoas, mas com uma simples ligação de vídeo aquele sentimento de distância se tornar imperceptível diante de algumas horas de conversa. “As plataformas digitais são ótimas soluções para encurtar as distâncias físicas. Para quem se encontra sozinho em casa por um longo período, por exemplo, uma videochamada entre amigos ou família é uma ótima pedida. Com a tecnologia, é possível até assistir um filme com um amigo mesmo à distância. O fato é que ela tem desempenhado um grande papel nesses momentos de isolamento social”, defende a especialista.

Quem diria que no ano de 2020 a comemoração de aniversários e outras festividades seria por meio de lives?! Nas últimas semanas, as redes sociais foram tomadas por registros de comemorações de aniversário, encontros de família e reuniões de trabalho sendo realizadas de forma remota por meio de plataformas interativas.

“As redes sociais estão ao nosso alcance, então não importa a celebração ou o momento do dia, o importante é não se sentir sozinho. E, a cada dia, a tecnologia tem mostrado que isso é possível, mesmo estando em casa e respeitando as medidas preventivas de combate à pandemia. Assim todos mantêm o distanciamento e celebram a amizade de uma forma inesquecível”, finaliza.

Destaque
Recentes
Siga a gente
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Cinzento Ícone Google+
Contatos

São Luís: Rua Queops /Avenida Vale, n° 05, Edifício Michelangelo, sala 201, Jardim Renascença II, São Luis, Maranhão. CEP 65.075-800

Imperatriz: Rua Pernambuco, Edifício Centro Empresarial, Sala 501, Centro, CEP: 65.903-320

Telefone: (98) 3302-8858
Celular: (98) 98713-6973

 

comunique@comuniqueassessoria.com.br

Clientes

© 2015 - Todos os direitos reservados